Marcão Britto

Marcos V. D. Britto (Marcão Britto) tocou com Aléx Acuña, Antônio Adolfo, André Faleiros, Alexandre Prates, Argemiro Oliveira, Banda Satisfaction, Billy Blanco, Carlos Galvão, Cassia Eller, Cezinha Rodrigues, Cléo Monteiro, Clube do Choro de Brasília, Eládio Oduber, Farlley Derze, Fernando Fontana, Genil Castro, Geraldo Horta, Gilton Martinez, Glêno Rossi, Guilherme Vaz, Guilherme Lucini, Hermeto Pascoal, Indiana Nomma, Írio de Paula, João Donato, José Cabrera, Kaka Magalhães, Lula Galvão, Márcio Menezes, Marlene Lima, Mario Solimon, MC Jazz, Moises Alves (Paraibach), Nema Antunes, Oswaldo Amorim, Pedro Ferreira, Renata Arruda, Reinaldo Anastácio, Rob da Cunha, Robertinho de Paula, Romulo Duarte, Salvatore Nanè, Toninho Horta, Toninho Maia, Zambinha entre muitos outros músicos Brasil e na Europa.

Baterista, fundador, produtor e empresário da Banda Satisfaction. Como baterista da Banda Satisfaction já abriu shows de diversos artistas: Biquini Cavadão, Blitz, Capital Inicial, Detonautas, Engenheiros do Hawaii, Fágner, Folhas, Gilberto Gil, Jota Quest, Lecy Brandão, Lulu Santos, Ultraje a Rigor, Zeca Baleiro entre outros.

Baterista, fundador e produtor do Grupo MC Jazz.

Autor do livro Brazilian Drummer.

SOBRE O AUTOR

Em 1973, aos 7 anos, teve seus primeiros contatos com a bateria graças ao baterista e professor Mário Silva, regente da Banda Marcial do Centro de Ensino Elefante Branco e vizinho da casa dos seus pais em Brasília. Aos 12 anos começou a estudar bateria de maneira autodidata e em 1o de agosto de 1979 teve sua primeira aula de bateria com Pato Preto, baterista de samba vindo da Zona Norte do Rio de Janeiro. Com seu pai, em 1980, aos 14 anos, começou a frequentar os shows de jazz no London Pub, primeiro pub de Jazz de Brasília, onde conheceu o baterista carioca Zequinha Galvão, músico referência vindo do Rio de Janeiro e que já havia tocado com estrelas da música brasileira. Em 1983, participou de um trio instrumental, o qual foi vencedor do concurso, na categoria Música Instrumental do 1o Festival Latino- Americano de Arte e Cultura da UnB – FLAAC.

Em 1984, iniciou o curso de Percussão Erudita da Escola de Música de Brasília com o Mestre PHD Ney Rosauro e a estudar bateria com Zequinha Galvão.

Em 1985, começou a dar aulas particulares em sua residência e começa a tocar profissionalmente na noite de Brasília. No ano seguinte, aos 20 anos, dava aulas de bateria na Escola Schubert, período em que conheceu Cassia Eller, então aluna de baixo, e começou a tocar com ela no início da sua carreira.

Em 1987, tira sua carteira de músico profissional e inaugurou a primeira escola de bateria de Brasília – Drummer Academia de Bateria.

Em 1988, foi convidado por Zequinha Galvão para ser professor de bateria da Escola de Música de Brasília.

Em 1990, inaugurou a Drummer Instrumentos Musicais, 1a loja especializada em produtos e acessórios de bateria de Brasília.

A partir de 1991, produziu diversos workshops com bateristas internacionais, como Billy Cobhan, Alex Acuña, Rod Morgenstin entre outros. Ministrou cursos e workshops em diversas escolas e cidades do Brasil.

Em 1994, foi professor convidado na semana de música na UNESP em Assis-SP.

Em 1995, vai para os Estados Unidos visitar seu amigo Dino Verdade e juntos assistem em Nova York shows com os bateristas Dave Weckl, Jojo Mayer, Steve Ferrone todos tocando com a Buddy Rich Orchestra e Bill Bruford com o grupo de rock inglês King Crimson.

Em 1997, foi pra Itália a convite da cantora Lea Costa para fazer uma série de shows em Nápoles. Nesse período, recebe convite para tocar com o guitarrista Írio de Paula (Elza Soares, Chico Buarque), com quem tocou no circuito de festivais de jazz italiano, apresentando-se no Roma Jazz Festival, Etna Jazz, Verona Jazz, Festival Latino-americano de Milão.

Ao retornar ao Brasil, no final de 1999, tocou no Clube do Choro com diversos artistas da música brasileira como Toninho Horta, João Donato, Antônio Adolfo, Hélio Belmiro, Robertinho Silva, Billy Blanco entre outros.

Em 2001, fundou a Banda Satisfaction, grupo musical que ficou bastante conhecido em Brasília e região.

Em 2018, forma o Grupo MC Jazz, juntamente com a cantora Cleo Monteiro.

Em 2019, recupera registros sobre ritmos brasileiros, que havia escrito 21 anos antes na Itália e começa a escrever seu livro de bateria Brazilian Drummer.

Em outubro de 2021, sai a primeira edição do livro Brazilian Drummer.

Lançamento: 2021

%d blogueiros gostam disto: